Ouro, Prata e Contrastes.

Se o que pretende é ficar a saber um pouco mais sobre Ouro e Prata, metais que habitualmente comercializamos, deixamos-lhe aqui algumas informações que esperamos possam acrescentar algo à sua curiosidade. 

 



Quando na antiguidade se depararam com a dificuldade em encontrar um Peso  Padrão que permitisse pesar as pedras preciosas, foi utilizada a Semente da Alfarrobeira (Quirat em Árabe). De quirat em árabe resultou o mais utilizado carat ou quilate em Português.

 

A razão dessa escolha prendeu-se com o simples facto de que, independentemente do número de sementes por vagem, cada uma apresentar um peso constante que equivale a 0,2 gramas.  

 

Sobre o Ouro

Quando na antiguidade, o homem, se deparou com a dificuldade em encontrar um Peso Padrão que permitisse pesar pedras e metais preciosos, utilizou como referência a semente da alfarrobeira (Quirat em Árabe). De quirat em árabe resultou o mais utilizado carat ou quilate em Português para as pedras e kilates para o ouro.

 

 

A razão dessa escolha prendeu-se com o simples facto de que na alfarroba, independentemente do número de sementes por vagem, cada uma apresentar um peso constante que equivale a 0,2 gramas.  

 

Mais tarde, já na antiga Roma, no tempo do Imperador Constatino, na tentativa de aferir a pureza do Ouro utilizado nas moedas do Império, mandou cunhar moedas de Ouro Puro, cada uma pesando o equivalente a 24 sementes de Alfarrobeira, daí os 24 kilates.

 

Só posteriormente se convencionou utilizar a designação kilates para o ouro, ficando a designação Carat para a pesagem das pedras preciosas.

 

O Ouro Português apresenta um toque de 19,2 kilates e é a liga com o teor mais elevado de ouro da Europa, bem como um dos mais elevados do mundo, apenas suplantado por alguns países árabes que ainda trabalham o ouro puro.

 

Este valor é obtido da mistura de 80% de ouro puro com 20% de outros metais (na maioria das vezes prata e/ou cobre). Este valor é resultante do resultado da fórmula:

                      800 (de 80%) x 24 (kilates do ouro puro) / 1000.

Actualmente já começa a ser comum verem-se em Portugal ligas de ouro com diferentes kilates utilizadas noutros países, sendo as mais comuns os 18K (75% de ouro puro), os 14K(58,3% de ouro puro) ou até mesmo os 9K (37,5% de ouro puro)

 

3 Razões para a existência de outras ligas (9K, 14K, 18K e 19,2K) e não apenas Ouro Puro (24K)?

- Quanto mais puro é o ouro mais maleável se torna e mais dificilmente moldável daí a necessidade de criação de ligas mais baixas;

- É o processo de ligação a outros metais que determina a cor final do ouro. Entre as suas tonalidades mais conhecidas (amarelo, vermelho ou branco) existem uma série de tonalidades diferentes que só são conseguidas através da inclusão de metais com outras cores.

- A existência de ligas mais baixas permite aos apreciadores obterem peças idênticas às de ligas mais puras (em côr) por um preço mais atractivo resultante da redução da percentagem de ouro puro existente na peça sem sacrificarem o aspecto final.

 

Como se obtem o Ouro Branco sabendo-se que o ouro na natureza é sempre amarelo?

O processo de obtenção de ouro branco só é possível quando não estamos a falar de ouro puro, ou seja só é possível porque ao executar-se determinada liga (para se  obter ouro com um Kilate pretendido), se mistura um metal chamado Paládio. Adicionalmente são dadas às peças daí obtidas, um banho de Ródio (outro metal prateado que é um óptimo reflector de luz)  por forma a conseguir-se um branco ainda mais intenso e metalizado.

 


Sobre a Prata

 

Chama-se Prata de 925 em semelhança ao raciocínio utilizado para o ouro, ou seja, para um determinado peso de Prata Pura (1000/1000) adiciona-se um peso de Cobre equivalente a 8% do seu peso de prata pura. Apesar de toda a Prata ser de forma comum, reconhecida como tendo um toque de 925, é possível encontrarem-se peças com toques inferiores, 830 ou 835.

 

Diga-se, a título de curiosidade, que a Prata é um metal muito mais poroso que o Ouro o que lhe confere, dependendo do tipo de fabrico, um peso que pode chegar a ter menos 40% do que a mesma peça em Ouro. É esta porosidade que permite que ele seja mais fácilmente atacado por agentes externos e por vezes escureça um pouco por contacto com o suor ou outro tipo de ácidos, que fácilmente também saem com um bom produto de limpeza de pratas.

 

Sobre as Cotações dos Metais


A cotação do ouro passou a ser fixada em 1919 por acordo entre os representantes dos cinco maiores intermediários de ouro do  The London Gold Market Fixing Ltd. e é acertada todos os dias úteis da semana, às 10h e às 15h,. A gestão do preço do ouro é assim apurada por cinco bancos de abrangência mundial:

Deutsche Bank;

HSBC;

Barclays (que substituiu o N M Rothschild & Sons);

Scotia-Mocatta (o sucessor do Mocatta & Goldsmid, atualmente parte do Bank of Nova Scotia);

Société Générale.

Segundo as regras fixadas pelo The London Gold Market Fixing, no chamado gold fixing, cada membro declara o número de barras de ouro que está disposta a vender ou a comprar nesse dia ao preço de referência em uso, com base nas suas próprias intenções de compra e nas dos seus eventuais clientes.

A negociação começa e o preço vai variando até que a disponibilidade de barras de ouro caia abaixo das 50. É assim fixado o preço de referência para o novo período. 


Mercado susceptível de ser deturpado é também muito sensível às instabilidades decorrentes dos mercados internacionais, quer por anomalias de preços noutros produtos de grande transacção, quer por questões de conflitos de maior importância. Quando se fala em aforro, o Ouro é de facto um bem considerado de valor seguro e de referência.



Cotações diárias do Ouro e da Prata


 

Ao abrigo do Artigo 63.º da nova lei do RJOC, Lei n,º98/2015 de 18 de agosto, informamos que as cotações diárias do ouro, da prata, da platina e do paládio podem ser consultadas em: 

 

www.aorp.pt/quotes.php

 

 


Sobre os Contrastes dos Metais


            Contrastes de Metais Preciosos
Contrastes de Metais Preciosos

 

Em Portugal todas as peças de ouro e prata devem possuir duas marcas de contraste, sendo uma delas a marca afixada pelo fabricante da peça e a outra a marca da Casa da Moeda, aí aplicada pela contrastaria. Se a peça fabricada for de:

 

- Ouro, a marca actualmente em vigor corresponde a uma cabeça de veado e nela deverá constar a inserção de um numero/valor em milésimas que deverá ser 800. Caso o valor apresentado na sua peça seja diferente isso significa que a sua peça é de kilate inferior ao padrão Português.

 

- Prata, a marca contrastada possuirá uma cabeça de águia de perfil, que:

- estará virada para o lado esquerdo se estivermos a falar no que se designa vulgarmente de prata fina (925 ou 999), ou;

- estará virada para o lado direito se estivermos a falar de prata com um kilate um pouco mais baixo (800, 830 ou 835).

 

Marcas da Convenção

 

É autorizada a venda no território nacional de artefactos de ourivesaria marcados ao abrigo da Convenção sobre o Controlo e Marcação de Artefactos de Metais Preciosos (Convenção de Viena).

Esta Convenção foi assinada em Viena em 1972 entre sete países europeus, entre os quais Portugal, a fim de facilitar o comércio internacional de artefactos de metais preciosos, visando a proteção do consumidor, justificada pela natureza particular destes artefactos. São eles: a Áustria, a Finlândia, a Noruega, Portugal, a Suécia, a Confederação Suíça e o Reino Unido.

Têm vindo a aceder à Convenção, ao longo dos anos, outros países, nomeadamente a Irlanda, a Dinamarca, a Republica Checa, a Holanda, a Letónia, a Lituânia, Israel, Polónia, Chipre e a República Eslovaca. Esta era a situação em junho de 2008. Fazem atualmente parte da Convenção 18 países, encontrando-se já outros em vias de acesso. Os símbolos das marcas da Convenção (Marca Comum de Controlo, CCM) consistem numa balança, no interior de perímetros diferentes, conforme o metal precioso e com o toque, em algarismos árabes, inscrito no centro.


Juntamos em anexo o mapa da INCM (Imprensa Nacional da Casa da Moeda) que exemplifica e regulamenta sobre as marcas legais e símbolos.

 

Se pretender mais informação sobre as marcas e contrastes portugueses clique neste link:

 https://www.incm.pt/portal/uco_marcas.jsp

 

  



Sobre a limpeza das suas pratas e jóias

         - A limpeza das suas pratas "pesadas"

Estamos localizados junto ao mar, entre o Estoril e Cascais e a um passo da Serra de Sintra, num dos locais mais lindos de se viver em Portugal. É uma zona onde as paisagens que nos rodeiam nos inspiram, mas que também trazem associadas consigo uma série de agentes naturais que são agressivos para as pratas, enquanto metal sensível e poroso por natureza, tais como a maresia, o vento e a humidade. Daqui a necessidade de lhes dedicar alguns cuidados especiais.

 

Possuímos também, desde a nossa fundação, uma boa quantidade de peças de maior porte em prata, tais como salvas, taças, candelabros e outras mais e, entre os nossos clientes, contamos com orgulhosos possuidores de boas e originais peças em prata, algumas das quais trabalhos raros que já passaram pela mão de várias gerações no tempo e que já ajudámos a recuperar e a dar um "novo fôlego". 

 

Dito isto, resta acrescentar que limpar pratas faz parte intrínseca do nosso trabalho diário e, mais do que já termos experimentado uma infinidade de produtos ao longo destes quase 50 anos de experiências, estamos longe de defender que temos a melhor solução ou que pretendemos vender a imagem de qualquer produto. O que pretendemos é que fique munido de algumas ferramentas que o ajudarão a dar mais vida às suas peças, pelo maior período de tempo possível. Para terminar, esclarecemos que não os vendemos e que para as adquirir recorremos a drogarias comuns ou até alguns supermercados.

 

Quando pensamos em limpeza de peças em prata, temos sempre em consideração diversos factores, tais como:

1º- A natureza do metal - Quanto à natureza do metal, quando falamos de prata falamos de um metal que comparativamente com outros é intrinsecamente leve, só para ter uma ideia do que falamos, comparativamente com o Ouro uma mesma peça em Prata possui cerca de 40% de peso a menos. A diferença está na porosidade e isso significa que como metal a prata, vista ao microscópio, tem muito mais poros do que o ouro e, mais buracos significam mais sítios para se alojarem os agentes externos que a agridem. Aos que já referimos como principais "agressores" das peças de maior porte, podemos juntar nas peças pequenas, perfumes, cremes de corpo, produtos de limpeza químicos, transpiração, etc.

2º- O tamanho da peça - Uma peça grande tem outro tipo de exposição e não conseguirá ser limpa nunca com produtos de limpeza rápidos tão úteis e versáteis como os existentes para limpeza de peças pequenas.

3º- Tipo de peça - se é essencialmente lisa, parte lisa e parte trabalhada ou essencialmente trabalhada. Se lisa necessita e permite utilização de produtos mais abrasivos e fortes mas que por outro lado conseguem até retirar marcas de riscos mais suaves ou manchas de outro tipo. Se trabalhada e dependendo do tipo de trabalhos que possua poderão ser ou não e se possui nos chamados cinzelados muita patine (aplicações de produto de cor escura que dá realce aos trabalhos da peça).

 

... Actualização Em Curso